Hoje: 12/12/2019
    Horas: 00:00:00
×
Madrasta grava vídeo dando lata de cerveja para enteada e revolta moradores de Bom Jesus de Goiás; veja

Madrasta grava vídeo dando lata de cerveja para enteada e revolta moradores de Bom Jesus de Goiás; veja

  • 13/08/2019
  • G1

A Polícia Civil está investigando uma madrasta suspeita de ter dado bebida alcoólica a uma menina de cinco anos e ainda gravar um vídeo que acabou viralizando na internet (veja acima). O caso aconteceu em Bom Jesus de Goiás, e revoltou os moradores da cidade no sul do estado, segundo o Conselho Tutelar, que acompanha o caso.

As investigações iniciais apontam que as gravações foram feitas na noite de sábado (10), mas só nesta segunda-feira (12) conselheiras tutelares da cidade tiveram acesso às imagens e conseguiram identificar os envolvidos e encaminhar o caso no fim do dia para a delegacia.

G1 não teve acesso ao nome da suspeita e não conseguiu saber se ela já é representada por algum advogado. Segundo o delegado Vinícius Penna, a mulher vai ser ouvida nesta terça-feira (13), quando também deve prestar depoimento o pai da menina.

No vídeo que circula na web é possível ver a mulher com uma lata de cerveja na mão e passando para a menina em mais de um momento. A criança chega a recusar a bebida em alguns trechos, mas logo é convencida pela madrasta.

Dá para ouvir quando a mulher manda a menina virar a lata e comemora, mesmo a garota fazendo ânsia de vômito.

“Vira, vira, vira… É isso aí garota! Filha de peixe, peixinho é”, falou a madrasta, dando risada e cantando.

Segundo a conselheira tutelar Rosa Maria de Oliveira, assim que ela e a colega de trabalho Laudelina Rodrigues tiveram acesso ao vídeo nesta segunda começaram a procurar em escolas da cidade por informações que pudessem levar à garota e à identificação dos responsáveis.

“Quando a gente estava em uma escola, recebemos a ligação da secretária de uma outra escola de que a menina estava lá com a madrasta. Chegamos lá e conversamos com ela. Mas o clima estava tenso do lado de fora, porque algumas pessoas revoltadas queriam bater na mulher. Tivemos que pedir auxílio da PM”, informou Rosa.

A conselheiro disse ainda que comunicou o caso à Polícia Civil e encaminhou a criança para um familiar paterno.

“O pai da menina falou que não estava em casa, porque tinha saído para trabalhar em uma fazenda e deixou a menina com madrasta, que tem 25 anos. Ele falou que a mulher está muito arrependida do que fez”, contou a conselheira, informando que a menina mora com o pai há dois anos e convive com a madrasta pouco mais de um ano.

“A mãe da menina mora em Minas Gerais, mas chegou na cidade para acompanhar o caso e disse que vai pedir a guarda da filha”, afirmou Rosa.

Um relatório sobre o caso será encaminhado pelo Conselho à Polícia Civil e ao Ministério Público ainda nesta terça-feira.

O delegado Vinícius Penna informou que vai avaliar melhor o caso nesta terça após os depoimentos, mas que inicialmente a madrasta pode responder pelo crime de fornecer bebida alcoólica para menor, previsto no Artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

“Já registramos a ocorrência e instauramos inquérito policial contra a mulher, que é madrasta da criança. O pai não estava em casa no momento do caso, mas também vamos ouvi-lo”, relatou Penna.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho